Blog

O corpo fala...


Há uns tempos atrás, assisti a um episódio do seriado House que trazia um caso muito interessante (para quem não sabe, dr House é um médico que atende casos difíceis de diagnosticar) e que me fez refletir bastante. A paciente era uma menina que possuía a doença Insensibilidade Congênita à Dor, ou seja, ela não sentia e nem regia aos estímulos dolorosos.

Ao primeiro olhar, pode não parecer ruim. Você não sente dor - ótimo, né? Mas quando você se dá conta que essa menina precisava ficar constantemente monitorando seu próprio corpo (pele, boca, olhos), para verificar se ela não tinha se machucado, você percebe que a dor não é simplesmente algo feito para nos fazer sofrer. É uma forma do nosso corpo se comunicar conosco, nos proteger de perigos, de invasões...

Além disso, a condição da menina não permitia que ela sentisse frio ou calor, ou percebesse vontades de ir ao banheiro, ou até mesmo fome! Ou seja, ela não conseguia se comunicar com seu próprio corpo! Precisava constantemente colocar lembretes para se lembrar de cumprir essas funções cotidianas.

E isso tudo me fez refletir sobre como realmente nosso organismo está constantemente controlando tudo. Até mesmo as funções que dependem da nossa consciência, como comer, ir ao banheiro e vestir uma roupa são controladas pelo nosso organismo, quando ele nos manda os finais de fome, de vontade de ir ao banheiro e de frio.

Sim, nós somos muito conectados! Mas não nos damos conta! Quantas vezes tentamos controlar estritamente funções que talvez não sejam do nosso controle?

Sim, isso ocorre fortemente na alimentação! Quantas vezes deixamos de ouvir nossos sinais internos e buscamos um controle externo para comer? Quantas vocês você estava com fome às 14h da tarde, mas precisou esperar até às 15h para seguir a regra do 3 em 3 horas? Quantas vezes você não estava com fome às 15h, mas comeu mesmo assim, porque a regra mandava? Quantas vezes você mascou chicletes ou bebeu água para enganar a fome?

Seu corpo é sábio, e ele fala com você. É preciso reaprender a ouvi-lo.

Veja mais