Blog

Criando um bom relacionamento com a comida desde a primeira infância

A introdução alimentar é uma fase muito importante para a criação do nosso relacionamento com a comida; afinal, é a primeira vez que temos um contato com os alimentos! Empolgante, certo?!

E por acreditar tanto na importäncia de um bom relacionamento com a comida, e por perceber que este relacionamento começa lá beeeem cedinho, eu comecei a desenvolver um interesse pela alimentação infantil, e particularmente pela introdução alimentar. Afinal, uma criança que já cresce com um bom relacionamento com a comida já está se prevenindo muito bem de desenvolver transtorno alimentar, sobrepeso e obesidade.

Para criar esse bom relacionamento com a comida, é muito importante que a introdução alimentar permita que o bebê conheça os alimentos, aprenda a entender seu apetite, respeite sua autonomia alimentar e tenha experiências positivas com a comida, permitindo assim que forme um relacionamento com a comida!

E estudando um pouco sobre introdução alimentar, acabei me identificando muito com o método Baby Led Weaning (BLW), descrito em 2008 pela autora Gill Rapley em seu livro “Baby Led Weaning: helping your baby to love good food”, o qual justamente refere-se a uma forma de conduzir a introdução alimentar que promove o reconhecimento e a exploração da comida e a autonomia da criança.

Eu conheci o BLW há cerca de poucos anos atrás, e posso dizer para você que foi amor à primeira vista, pois é um método que permite que o bebê tenha uma experiência positiva com a comida e se mantenha conectado com seu comedor intuitivo.

Segundo Gill Rapley, o BLW seria um conjunto de conselhos e técnicas que descrevem como introduzir os alimentos de forma a incentivar a autonomia do bebê, como, por exemplo, respeitar a prontidão do bebê para comer; ofertar os alimentos em sua forma sólida desde o princípio (ou seja, não é por meio de papinha!), permitindo que ele explore e conheça os alimentos; incluí-lo nas refeições em família; e permitir que ele seja um agente ativo nesse processo.

Ou seja, o bebê torna-se dono do seu próprio processo. E aprende a curtir os alimentos e a confiar em si desde o princípio.

Porém, independente do método que você escolha para o seu bebê, reflita sempre sob a ótica de possibilitar que um bom relacionamento com a comida seja formado e criado, ou seja, que permita que o bebê tenha experiências positivas com a comida, que ele conheça os alimentos e que ele aprenda a entender seu apetite e respeitá-lo!

Veja mais