Blog

Saudável ou não saudável?

Fico muito triste em ver os alimentos sendo rotulado e crucificados. Para falar a verdade, não gosto da rotulação de saudáveis e não saudáveis. Sei que isso parece estranho para uma nutricionista, mas essa é minha opinião, e acredito que ela é muito fundamentada depois de muitas experiências pessoais e profissionais.

Primeiro de tudo, qual é seu critério de classificação para dizer o que é saudável e não saudável? Por exemplo, o coitado do chocolate, tão sempre hostilizado. Qual o critério utilizado para crucificá-lo? Teor de açúcar, gordura, fibra, proteína? Por que se for esses, sim, um chocolate ao leite pode ter gorduras não tão boas e açúcares em excesso.

Mas vem cá, a dose não faz o veneno? Porque eu acredito na questão da dose. Se eu como uma barra inteira de chocolate ao leite a cada dois dias, bom isso poderia (sem generalizações) me levar a uma ingestão excessiva de gorduras não tão boas e açúcares, que poderiam fazer mal ao meu organismo. Mas se eu como apenas uma fileirinha por dia, naquele meu momento de relaxar, de me permitir os deliciosos prazeres da alimentação, será que meu corpo não é capaz de lidar bem com isso?

Agora, por exemplo a maçã, uma maçã normal, vendida no mercado. Ela é linda, né? Fibras, antioxidantes, vitaminas, minerais... Mas se eu passar um dia inteiro comendo apenas maçãs, ela ainda seria considerada saudável para meu organismo? Por isso acredito que a dose é um grande elemento chave nas nossas escolhas alimentares diárias. Como já se dizia, quem define o veneno é a dose. E ainda, se utilizarmos como critério para classificação a quantidade de agrotóxicos, isso não faria do chocolate mais saudável? Tudo bem, estou divagando aqui! Mas essa foi pra pensar e ilustrar que devemos explorar os critérios que definem o que é saudável e não saudável.

Hoje, depois de ter lutado com o transtorno alimentar por alguns anos, comprei uma barra de chocolate branco que não comia há anos. O que??? Chocolate branco? Sim, comprei o coitado demonizado chocolate branco. Tudo bem que ele não tem a quantidade de antioxidantes e gorduras boas que estão no chocolate amargo. Mas e daí? Eu gosto, é o que estou com vontade no momento, sei que irei comê-lo em quantidade suficiente, ele me traz prazer, e eu sei que meu corpo pode lidar com isso. Por que eu chamaria, então, o chocolate branco de não saudável?

Enfim, meu ponto é: não gosto dessa classificação de alimentos saudáveis e não saudáveis, sem o mínimo de reflexão, gerando todo esse terrorismo alimentar. Pra mim, uma "alimentação saudável" é aquela que nutre seu corpo, te dá energia e prazer em viver, e também te dá prazer em comer. Sim, devemos nos permitir comer aquilo que gostamos, mesmo que ele não seja "tão saudável". Tudo depende da dose, do organismo e do seu conhecimento por você mesmo.

Por isso, saia da neura e encontre seu equilíbrio. Se você já não encontra seu equilíbrio por estar tão cheio de preconceitos da mídia, procure um profissional nutricionista e peça que ele te ajude a restabelecer sua alimentação. Viva sua vida comendo bem, do que você gosta, com equilíbrio e seja feliz. A vida é muito curta para ser cheia de neuras.

Veja mais